O que fazer em Bruxelas

Apesar de não ser das capitais europeias mais badaladas, Bruxelas é conhecida como a Capital da Europa, por ser o centro político e administrativo da União Europeia e sediar o Parlamento Europeu e muitas organizações internacionais.

Além dos passeios pelo centro da cidade com a obrigatória incursão ao Manneken Pis e à Grand Place, como vos falámos no post anterior, há muito mais para explorar na capital belga.

Atomium

Um pouco fora do centro (a cerca de 7km), encontra-se o, igualmente famoso, Atomium. Esta construção que agora é um museu, foi criada para a Expo 58 e tem 102m de altura. A esfera mais alta contem um restaurante com vista panorâmica sobre a cidade.

Museu Magritte
Se gostam de surrealismo, não podem perder! Nós não somos os maiores fãs de museus, mas adorámos. Este senhor era um génio! O museu é praticamente novo – abriu ao público em 2009 – e encontra-se no hotel neo-clássico Altenloh, na Place Royale. Contem mais de 200 originais e algumas esculturas. Desde o mais famoso “Le Fils de L’Homme” (talvez o nome não vos diga muito, mas e se dissermos “o homem de fato com cara de maçã”?) a outros quadros como o “Les Valeurs Personnelles”, que nos oferece um quarto com objectos em tamanho aumentado (um pente, um copo, um pincel, etc), é possível encontrar as mais incríveis obras do pintor. São umas 2 horas muito bem passadas, mesmo para quem não seja admirador de museus.
 
Museu dos instrumentos musicais
Na rua ao lado do Museu Magritte descobrimos este outro. E foi uma bela surpresa! À entrada recebemos uns auscultadores e uma espécie de tablet que nos guiarão na visita. É possível ouvir quase todos os instrumentos expostos. E são centenas! Muitos deles nunca antes vistos por nós e completamente desconhecidos. À medida que vamos escutando as diferentes melodias, vamos viajando pelo mundo (fechar os olhos ajuda). Uma tarde cultural super interessante!
Mercados
Bruxelas é, também, conhecida como a cidade dos mercados, uma vez que praticamente cada bairro tem um. Nós fomos ao Marché du Midi, um mercado gigante com tudo o que se possa imaginar, desde comida a roupa, passando por gadgets e outras centenas de coisas que nos cansam, só de pensar. É uma bela experiência. Aconselhamos a provarem alguma da comida tradicional que por lá se vende e é cozinhada no momento, à nossa frente. Mnham!
Para além do que referimos, há sempre qualquer coisa mais a descobrir em cada cidade. Em Bruxelas ainda demos uns passeios pelo Sablon (a zona dos museus e do Parc de Bruxelles) e por outras zonas mais afastadas do centro. É partir à aventura!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

[instagram-feed]